Templo budista Khadro Ling em Três Coroas, Rio Grande do Sul.
PROGRAMAÇÃO  DO  MÊS  DE  JUNHO / 2019
Dia 1 Sábado – 16h00 Prática de Tara Vermelha no contexto da prática longa
(requer iniciação)
             17h30 Meditação Shamata (aberta ao público em geral) (1)
Dia 3 Segunda-feira – 19h30 Prática de Tara Vermelha no contexto da prática concisa (2)
e Celebração do Saga Dawa (3) (aberto ao público em geral)
Dia 6 Quinta-feira – 19h30 Prática de Tara Vermelha no contexto da prática longa
(requer iniciação)
Dia 8 Sábado – 8h30 às 11h30 Prática de Ngondro  (requer iniciação)
            16h00 Prática de Tara Vermelha no contexto da prática longa
(requer iniciação)
            17h30 Meditação Shamata (aberta ao público em geral)
Dia 10 Segunda-feira – 19h30 Tsog de Tara Vermelha no contexto da prática concisa
(aberta ao público em geral) (4)
13 a 16 De Quinta-feira
a Domingo
Ensinamentos com Lama Sherab Drolma
Programação completa aqui
Dia 17 Segunda-feira – 19h30 Prática de Tara Vermelha no contexto da prática concisa e Celebração do Saga Dawa (aberto ao público em geral)
Dia 22 Sábado – 16h00 Prática de Tara Vermelha no contexto da prática longa
(requer iniciação)
             17h30 Meditação Shamata (aberta ao público em geral)
Dia 24 Segunda-feira – 19h30 Prática de Tara Vermelha no contexto da prática concisa
(aberta ao público em geral)
Dia 26 Quarta-feira – 19h30 Prática de Powa (requer iniciação)
Dia 29 Sábado – 16h00 Prática de Tara Vermelha no contexto da prática longa
(requer iniciação)
             17h30 Meditação Shamata (aberta ao público em geral)


1 - Meditação Shamata
Trata-se de uma prática de atenção usada para manter a mente focalizada. Por meio dela repousamos naturalmente a mente em um estado de consciência relaxado, descansando em seu estado natural. A prática é recomendada para os primeiros contatos com o caminho budista, e aberta a todos os interessados.

2 - Prática de Tara Vermelha no contexto da prática concisa
Esta prática é um dos grandes tesouros que herdamos de S. Ema. ChagdudTulku Rinpoche. Envolve a visualização da deidade, a recitação de mantras e o repouso natural da mente. Tara é reverenciada como a mãe de todos os Vitoriosos e a Salvadora Veloz. Ela corporifica a sabedoria de todos os budas em forma feminina, e manifesta as qualidades iluminadas do amor, compaixão e sabedoria. A prática é recomendada para os primeiros contatos com o caminho budista, e aberta a todos os interessados.

3 - Celebração do Saga Dawa
O Saga Dawa é considerado o mês sagrado para os budistas, especialmente para aqueles que vivem de acordo com os ensinamentos do Budismo Tibetano. Ele é o quarto mês do calendário lunar tibetano, e significa literalmente, quatro luas. Nesse período se celebra o Nascimento, a Iluminação e o Parinirvana do Buddha Shakyamuni, o Buddha do nosso tempo.
O Saga Dawa é, também, chamado de “mês de méritos” para os budistas tibetanos. Este é um período especialmente dedicado a “gerar mérito”, que é entendido como o que é gerado por ações virtuosas e pensamentos positivos. Durante esse mês especial, eles se potencializam, se acumulam e, tradicionalmente, são dedicados ao benefício do alivio do sofrimento de todos os seres.

4 - Celebração do Tsog de Tara Vermelha no contexto da prática concisa
Uma vez por mês realizamos a cerimônia de tsog, no contexto da prática de Tara Vermelha. Tsog, em tibetano, significa ‘reunião’: de praticantes, das deidades e das várias substâncias oferecidas (comida, bebida, luzes, incenso e flores).
Trata-se de uma cerimônia de remoção de obstáculos e acumulação de méritos através da essência pura de todos os sabores.
A data é variável, de acordo com o calendário mensal.

CLN 206 - Bloco B – Sobreloja - Asa Norte - Brasília – DF (em cima da panificadora, acesso pela rampa) — Email: cgpadmaling@yahoo.com.br
o